Rádio Líder FM Online de Acopiara

sábado, 16 de abril de 2016

Polícia captura jibóia que estava devorando as cabras de produtor rural em Salitre no Ceará


Uma Jiboia de aproximadamente 4 metros de comprimento que estava devorando a criação de um caprinocultor em Salitre foi trazida para ser devolvida ao seu habitat natural na Floresta Nacional do Araripe em Crato. A captura se deu por volta das 9 horas desta sexta-feira no Sítio Serra Velha na zona rural de Salitre já perto da divisa com o estado do Piauí. 

O Subtenente Henoch, o Sargento Bonfim e o Soldado Felipe da Companhia de Policia Militar Ambiental de Juazeiro foram até lá após receberem o chamado do pecuarista José Itamar Alencar, 56 anos, ou “Zé Ita” como é conhecido. Eles tiveram o apoio de PMs do Destacamento de Salitre comandados pelo Sargento Paulo César no deslocamento até a propriedade do agricultor. 

Este confirmou que o réptil vinha se alimentando com a sua criação de cabras. Vez por outra, Zé Ita sentia a falta de um dos seus animais e até chegou a imaginar que estivessem sento furtados por ladrões. Na manhã de ontem ele flagrou a cobra devorando mais um dos seus animais e recorreu ao apoio da polícia ambiental para dar um basta na situação já que optou por não matar o réptil.

Movimento 'nem Dilma nem Cunha' tenta esvaziar placar pró-impeachment

Deputados de partidos que já indicaram voto a favor do impeachment, como o PSB e o PSD, tentam articular em suas legendas um movimento para aumentar o número de abstenções e impedir a aprovação da saída de Dilma Rousseff do governo. 

 A justificativa para não votar a favor do impeachment seria a de que a alternativa à presidente, o chamado "governo Temer/Cunha", já que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, será o primeiro na linha de sucessão caso Michel Temer assuma a Presidência– seria pior do que a de deixar a petista no comando do país. 

O movimento ganhou alento porque o placar de votos já declarados a favor do impeachment é considerado apertado.

Justiça proíbe Dilma de convocar pronunciamento sobre impeachment


Diante da ameaça de aumento do número de votos contrários ao impeachment da presidente Dilma Rousseff na votação do processo no domingo (17), o vice-presidente, Michel Temer, decidiu voltar para Brasília na manhã deste sábado. 

O peemedebista havia embarcado para São Paulo no final da tarde desta sexta-feira (16), após passar o dia recebendo parlamentares no Palácio do Jaburu, residência oficial da Vice-presidência em Brasília. 

Levantamento da Folha feito com os 513 deputados mostrou que, ao longo do dia, a oposição alcançou os 342 votos necessários para o impedimento da presidente, mas perdeu a maioria horas depois. 

Paulinho da Força (SD-SP), um dos líderes da tropa anti-Dilma na Câmara, foi um dos que esteve na casa de Temer à tarde. 

O plano inicial de Temer era permanecer na capital paulista, pelo menos até o domingo, dia em que a Câmara apreciará o pedido de impedimento da presidente. O peemedebista ainda não definiu a agenda deste sábado. O retorno, no entanto, tem por objetivo intensificar as conversas com os indecisos e outros aliados em potencial.

Mega-Sena pode pagar R$ 60 milhões neste sábado

O sorteio do concurso 1.809 da Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 60 milhões para quem acertar as seis dezenas neste sábado (16). 

O sorteio ocorre às 20h (horário de Brasília) no Terminal Rodoviário do Tietê, em São Paulo (SP). 

De acordo com a Caixa Econômica Federal, se um apostador levar o prêmio sozinho e aplicá-lo integralmente na poupança, receberá cerca de R$ 430,7 mil por mês em rendimentos. 

Caso prefira, poderá adquirir 37 imóveis no valor de R$ 1,6 mil cada, ou montar uma frota de 92 carros esportivos de luxo. 

Para apostar na Mega-Sena 

As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país. A aposta mínima custa R$ 3,50.

Com classificação "antiga" e Hamilton em último, Rosberg faz a pole na China


Depois de experiências frustradas com o formato de classificação "knockout" nas duas primeiras etapas do ano, a Fórmula 1 teve, neste sábado, a volta do sistema anterior, usado de 2006 a 2015. 

Com a pista úmida em razão de uma chuva que caiu mais cedo e um começo agitado, a sessão que formou o grid para o GP da China teve duas bandeiras vermelhas, e viu Lewis Hamilton ficar sem tempo no Q1 em razão de problemas no motor. 

O britânico, que já teria que pagar uma punição de cinco posições por ter trocado o câmbio, largará em último na corrida deste domingo. Sem seu companheiro de Mercedes e principal rival no caminho, Nico Rosberg não teve dificuldades para cravar sua 23ª pole na carreira ao anotar 1m35s402.

Clique na imagem para ampliar