Rádio Líder FM Online de Acopiara

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Ex-prefeito Aderilo Alcântara esclarece boatos sobre dívidas de INSS e Consignados

O ex-prefeito de Iguatu, Aderilo Alcântara rebateu na tarde desta quinta-feira (16), durante entrevista ao Porgrama A Hora do Povo, com Ozemar Rodrigues, as mentiras e calúnias que vêm sofrendo por parte de veículos de comunicação ligados ao atual prefeito da cidade, Ednaldo Lavor. 

"A chapa que ganhou as eleições no Iguatu deu calote eleitoral, prometendo emprego a todo mundo, aumento de salários, e quando perceberam que não poderiam cumprir as promessas, agora não param de inventar mentiras contra a minha gestão". Disse o ex-prefeito Aderilo

Recentemente, sites e emissoras de rádio da cidade de Iguatu veicularam notícia dando conta de que o ex-gestor teria deixado uma dívida de R$ 75 milhões com o INSS. “Ora meus amigos, se a prefeitura não tivesse recolhido nenhum centavo durante esses quatros, ainda assim estaria longe de atingir esse valor que eles agora me acusam. É preciso esclarecer que essa dívida de INSS vem de muitos anos, e a cada gestão que assume o município, o saldo devedor passa por renegociação”, explicou. 

Segundo Aderilo Alcântara, depois de realizado o fechamento contábil de dezembro, último mês da sua gestão, foi constatado um saldo nas contas da Prefeitura de mais de R$ 13 milhões de reais. “Nós entregamos essa prefeitura com um saldo de R$ 13.608.079,70, recursos para obras que estão em andamento, recursos para a saúde, para a educação e pagamento de servidores”, destacou. 

Aderilo Alcântara explicou que, na véspera de encerramento de seu mandato, no dia 30 de dezembro, efetuou o pagamento de aproximadamente 73% da folha do funcionalismo municipal, montante correspondente ao mês de dezembro. 

“Não pagamos o restante da folha porque o expediente bancário foi encerrado às 11 horas do dia 30, e os recursos só foram depositados no período da tarde, mas o dinheiro ficou em conta para que pudesse ser concluído o restante da folha. Nesse caso, o atual prefeito teria até o dia 20 de janeiro para efetuar o pagamento ao banco da parcela dos consignados”, pontuou.

Caseiro mata advogado e oculta cadáver em sítio

O corpo de um advogado que estava desaparecido desde a última quarta-feira (15) foi encontrado em uma cacimba, nessa sexta-feira (17). O poço fica em frente ao sítio da vítima, localizado no Município de Aquiraz. O caseiro da propriedade e a esposa dele confessaram o homicídio e a ocultação do cadáver. Segundo informações do delegado Renê Andrade, diretor do Departamento de Inteligência Policial (DIP), os acusados afirmaram que tinham se desentendido com Aldrin Helânio Coelho Fonteles, de 49 anos. 

Em depoimento, Antônio Rodrigo de Sousa, 35, disse que o advogado chegou sozinho ao sítio por volta das 22h30 da última quarta-feira (15), onde passou a ingerir bebida alcoólica. Poucas horas depois, houve uma discussão entre os envolvidos no caso. A vítima, supostamente, teria agredido física e verbalmente o casal. Não se sabe os motivos reais da discussão, mas as informações apuradas inicialmente apontam que Aldrin era "excessivamente ciumento". 

Durante o confronto, Rodrigo de Souza e Marina Ivone Nascimento Menezes, 38, imobilizaram o advogado e o estrangularam. Logo após a vítima ficar inconsciente, os acusados tomaram posse de uma corda e o enforcaram. Certificados que o advogado estava morto, o caseiro arrastou o corpo até uma caminhoneta, que também seria de propriedade de Aldrin, e dirigiu pelas ruas próximas do loteamento Novo Iguape - área onde o sítio é localizado - no intuito de encontrar um local para ocultar o cadáver. 

Contudo, o caseiro acabou batendo o carro e, receoso de ser descoberto na rua, voltou à propriedade. No sítio, a dupla decidiu arremessar o corpo dentro do poço para escondê-lo.