Rádio Líder FM Online de Acopiara

quinta-feira, 16 de março de 2017

Desembargador cearense e filho são acusados de vender sentenças da Justiça pelo Whatsapp

A Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça aceitou a denúncia da Procuradoria-Geral da República e abriu, nesta quinta-feira (16), ação penal contra o desembargador cearense Carlos Rodrigues Feitosa e o seu filho, o advogado Fernando Feitosa. Eles são acusados de vender sentenças do Tribunal de Justiça do Ceará pelo Whatsapp. 

Segundo STJ, Fernando “organizou e liderou o ajuste para recebimento das vantagens indevidas pelo comércio de pelo menos cinco sentenças, com a atuação de seu pai". 

Trecho da acusação revela que “parte da atividade era organizada por meio de um grupo de WhatsApp e as cobranças, segundo investigações, variava de R$ 70 mil a R$ 500 mil”. 

Além de Carlos e Fernando, mais 8 pessoas são acusadas de participar do esquema.

Ceará News

Nível de seca extrema no Ceará diminui quase 90%

O Ceará começou 2017 com cerca de 60% do seu território em seca extrema, que é o pior nível de estiagem segundo a classificação do Monitor das Secas, da Agência Nacional das Águas (ANA). Porém, as chuvas que ocorreram principalmente no mês de fevereiro já contribuindo para minimizar a severidade da seca em grande parte do Estado. 

De acordo com o sistema de monitoramento, o Ceará tinha, em janeiro, 63% do seu território em seca excepcional. Hoje, o Estado tem somente 6,5% em situação crítica, restringindo-se a uma estreita faixa no extremo sul. A queda significa uma redução de quase 90% de um mês para o outro. 

Por outro lado, houve uma expansão nas áreas das secas extrema e grave, além do surgimento de uma área com seca moderada no noroeste do Estado. Com exceção do setor noroeste, onde os impactos são de longo prazo, caso a situação não mude, nas demais áreas os impactos permaneceram de curto e longo prazo. 

Com as precipitações, o Ceará está atrás somente do estado do Maranhão, que conseguiu zerar o nível de extrema seca. 

Chuvas em 2017 

No comparativo com os 3 primeiros meses do ano (levando em conta a 1ª quinzena de março), as chuvas que caíram no Ceará são animadoras. 

Em janeiro, mês que faz parte da pré-estação, as chuvas ficaram 32,4% abaixo da média, que é que 98,7 milímetros, isto é, o volume observado foi de apenas 66,8mm. Além disso, houve queda no comparativo com o mesmo período do ano passado, quando as precipitações bateram 191,8mm. 

Já no mês de fevereiro, que marca o início da quadra chuvosa, as precipitações de 155 milímetros no Ceará foram quase três vezes mais intensas do que em 2016, além de ficarem 30% acima da média histórica. 

Por fim, nos primeiros 15 dias de março, o volume observado é de 129,1mm, que já é a mesma quantidade registrada em todo o mesmo mês do ano passado. Considerando que este é o mês de chuvas mais intensas no Estado, esse número deve aumentar.

Polícia apreende meia tonelada de material explosivo em Fortaleza

A polícia apreendeu mais de meia tonelada de material explosivo e prendeu um homem suspeito de fornecer o material para grupos de assaltantes a bancos e carros-fortes no Ceará. A prisão ocorreu no Bairro Quintino Cunha, em Fortaleza, na noite desta terça-feira (14). 

Segundo o tenente-coronel Henrique Bezerra, que participou da operação, o suspeito tem autorização para utilizar material explosivo, mas ele possuía uma quantidade muito acima do que ele tem permissão para portar. 

"Houve uma denúncia de que em uma casa havia, em princípio, uma pequena quantidade de explosivos. O Batalhão de Choque foi até o local. Depois de uma série de negociações com o proprietário do imóvel, com advogado, foi permitida a entrada dos policiais e onde foi constatada e apreendido todo esse material", explica o delegado Eduardo Tomé. 

O suspeito trabalha em uma pedreira que utiliza os explosivos. Segundo a Polícia Civil, a quantidade de material explosivo apreendido é suficiente para abastecer uma pedreira durante o período de sete meses. 

Além da quantidade excessiva de material, as dinamites eram armazenadas na residência do suspeito, o que é proibido por lei. "Para o Exército Brasileiro, ele havia informado que tinha utilizado na sua atividade empresarial todo o artefato, inclusive no depoimento dele, ele confessa que pela legislação, a parte que não foi utilizada no serviço deveria ser destruída, é isso que determina a legislação. E ele confessa que não destruiu e armazenava para outros trabalho", afirma o delegado. 

O suspeito foi autuado por posse de artefato explosivo e deve continuar preso até pelo menos o fim das investigações. De acordo com a Polícia Civil, a partir da prisão, serão investigados outros supostos envolvidos no esquema de fornecimento de material explosivo.

Açudes do Ceará atingem melhor índice em cinco meses

O nível dos reservatórios cearenses atingiu, nessa quarta-feira, o melhor índice desde outubro do ano passado. Há cinco meses acumulando quedas sucessivas por razão das escassas chuvas no Estado, o quadro se reverteu neste mês, diante dos eventos pluviométricos observados ao longo dos primeiros 15 dias de março. O volume dos 153 açudes monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos do Estado do Ceará (Cogerh) saltou de 6,25%, no mês de fevereiro, para 8,06%. 

A quantidade de açudes secos também tem reduzido, assim como cresceu o número de reservatórios sangrando. Ontem, pela primeira vez no ano, a Cogerh registrou três açudes com 100% de sua capacidade de armazenamento. O Tijuquinha, na cidade de Baturité, se juntou aos reservatórios Caldeirões, em Saboeiro, e Maranguapinho, na cidade de Maranguape. Todos eles estão sangrando. 

Apesar disso, o quadro ainda não é favorável e requer cuidados e o uso racional da água, uma vez que, no segundo semestre, as chuvas são raras. De acordo com a Cogerh, desde 1995, ano em que o órgão passou a monitorar os reservatórios no Estado, 2017 atingiu, com 6,4%, em janeiro e fevereiro, o pior índice em 22 anos.